terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Crítica ao livro "Nymphea"



Conheci a Luísa D. Raposo, através do seu blogspot.
A escrita erótica, provocante, descritiva, espessa e burlesca que possui agradou-me deveras, visto que funcionou como que uma pedra que abalou o lago desta normalidade geral do panorama literário nacional.
Escrever erotismo não é simples, corta bastante as mãos e, quando escrito por uma mulher, ainda mais injusto se adivinhará. Tudo isto, aliado às belíssimas escolhas de vocábulos, às combinações de ideias e a fetiches e paisagens literárias íntimas, deixou-me interessadíssimo pela escrita da autora Luísa D. Raposo. O sexo e o erotismo devem ser criados com energia grossa e pujante sob talento e vontade, logo é com naturalidade e sem fricções morais que escrevo que nos faz falta uma voz destas na Literatura!

O livro “Nymphea” é um conjunto de textos eróticos, sensuais, cristalizados em imagens carnais, em emoções intensas e que me envolveram numa massa excitante. O seu registo é poético, um ritmo que me deu a sentir peculiaridades e desejos e riquezas sexuais da autora num trago poético de liberdade, qual voz erótica divina e em êxtase, de ponto a ponto. 

Os textos são curtos, pelo que a leitura é rápida, embaladora e funciona como que uma semente que se nos entranha na mente, alastrando ao corpo uma vibração luxuriosa. Como os textos são curtos, podemos reler um deles antes de avançar para outro texto, a fim de sentir, qual prisma diferente de um mesmo objecto, a qualidade das palavras, a bela utilização de figuras estilísticas, o jogo de nomes e verbos e artigos, tudo misturado, a ser uma segunda leitura mais cativante, onde descobrimos detalhes novos e onde a minha mente se lançou a pensamentos tão bonitos quanto carnais.

A linguagem é cuidada, se bem que penso que sai instintivamente da caneta da autora. Como a temática principal é o erotismo, o corpo é o alvo deste género de escrita e fica perfeitamente retratado, teatralizado e homenageado. 
”Nymphea” trata-se de um conjunto de textos que incidem sobre o erotismo, o sexo, as fantasias, o desejo, a extrapolação, o orgasmo; vectores que permitem ao Homem crescer e cultivar as Suas realidades. O sexo, o orgasmo, as descrições genitais e as interjeições são as personagens principais deste livro, porém, são a vontade de conquistar o amor, a alegria de viver e a defesa dos laços emocionais e básicos os lares dessas mesmas personagens.

Luísa D. Raposo possui um talento enorme na escrita erótica e este é um bom livro para conhecê-la, porque contém toda a mestria e elegância das palavras e imagens que a autora tinha vindo a apresentar antes do mesmo.
”Nymphea” alude às Ninfas, às Belezas, à Mulher, à União sexual e, por conseguinte, ao pleno abraço dos sentimentos e prazeres. Ser desejoso de sexo e de prazer é tão natural como as temperaturas que sobem quando nos acercamos de quem respeitamos e de quem gostamos, já que é uma materialização de pensamentos em realidade, através dos sentidos.

Este livro é belo para quem aprecia o género literário em questão e é marcante para todos os outros seres. Não se arrependerá, o leitor, ao folhear esta obra do erotismo português, porque entenderá que a autora pinta a Vida como uma ninfomaníaca, uma Deusa, à qual prestamos as nossas carícias e malícias, em linguagem cuidada, activa, intensa e orgásmica e sorrirá com júbilo e entenderá a Liberdade da Vida. A “Liberdade-Vida”! A Mulher é a Ninfa da Palavra do mundo.

Para terminar, uma pequeníssima alusão a erros de edição, possivelmente de uma má revisão, mas que não são suficientemente importantes para quebrar a alma do livro ou o desígnio da Luísa D. Raposo: a sensualidade das palavras no erótico da leitura.

Descubram o livro, a autora e todos os seus textos! É uma sugestão de prazer.

Sem comentários: